O programa de Pré-aceleração PUC Minas conduzido pelo Acelera MGTI, em parceria com o Instituto de Ciências Exatas e Informática da PUC Minas (ICEI), conclui mais uma edição com sucesso. A BeyVision e a PLUKS foram as startups vencedoras do hackathon, promovido pela Fumsoft, em parceria com a PUC Minas.

O Instituto de Ciências Exatas e Informática (ICEI) está animado com os resultados obtidos pelos projetos acelerados, segundo o Coordenador do Programa de Pré-Aceleração de Negócios ICEI – PUC Minas, João Carlos Oliveira Caetano.

De acordo com Caetano, a Fumsoft representa uma parceria estratégica capaz de despertar nos alunos a vontade de inovar e empreender, “A semente que plantamos há algum tempo dentro da Universidade, agora vem gerando frutos: incentivamos a formação de equipes multidisciplinares, alunos de diversos cursos se juntando e formando equipes. O conhecimento nas diversas áreas possibilita uma troca de conhecimentos e experiências por meio da interdisciplinaridade, proporcionando às equipes mais capacidade e criatividade na solução de problemas e proposição de novos negócios.”, acrescenta.

Nesta edição, o programa inovou no formato e teve como primeira etapa um hackathon que selecionou as duas startups para se desenvolverem dentro do Acelera. “Esse novo modelo se mostrou muito efetivo, ao selecionar projetos muito interessantes, e por isso pretendemos seguir com ele nas próximas edições”, enfatiza o diretor de empreendedorismo da Fumsoft, Wilson Caldeira.

A graduação das startups da 13ª edição consolida uma longa parceria, que vem desde 2005 com mais de 200 alunos orientados, 800 horas de consultorias e treinamentos realizados e 55 de modelos de negócios elaborados.

Projetos – A BeyVision, pensando nas dificuldades diárias de locomoção de um deficiente visual, desenvolveu um boné com sensor ultrassônico, que detecta obstáculos nos membros superiores que se comunica com uma pulseira que emite vibrações possibilitando que o cego identifique esses objetos e desvie.

“O Acelera ajudou a BeyVision se transformar de um projeto de faculdade em uma Startup. Tivemos valiosas consultorias de mercado e tecnológica onde aprendemos a validar, desenvolver novas ideias para implementação. Só temos a agradecer a toda equipe acelera pela receptividade, oportunidade e crescimento ao longo desses três meses”, conta Camila Rodrigues, estudante que está à frente da BeyVision.

A PLUKS é uma empresa de solução em ponto de venda. Visando facilitar a vida dos consumidores, a PLUKS chega com a proposta de inovar nos pontos de venda e, através dele, entregar para o produtor de eventos uma grande gama de informação para conhecer melhor seu negócio e seu público.

Para Rafael Álvares , “O Acelera MGTI não só deu um direcionamento para nós, como também reconstruiu nossa empresa. Hoje a PLUKS é engajada, motivada e produtiva, diferente do cenário de quando entramos no programa. Agora sabemos que nosso sonho é atingível e que nós podemos fazê-lo acontecer!”.